Muito prazer, entranhas.org!

 

Somos um portal que abriga análises políticas escritas apenas por mulheres que expressam seus pontos de vista a partir da esquerda.

Vivemos rodeadas/os de pura informação, mas faz-se necessário mergulhar mais fundo. É preciso olhar para além do óbvio, para além da superfície. Fazer análise política é procurar as vísceras dos acontecimentos, aquilo que não está dito, que é preciso ser desentranhado para que se revele. Escolhemos partir da esquerda rumo a esse processo de escavação.

O que é, afinal, ser de esquerda? É acreditar que o mundo pode ser completamente outro, desprendido das amarras do capital, regido por outras lógicas que priorizem a solidariedade no lugar da competição, a cooperação no lugar da exploração. Ser de esquerda é ter certeza de que também o ser humano pode ser outro, liberto de esquemas opressores que limitam suas possibilidades. Desocupado de machismos, racismos, homofobias, etnocentrismos… Ser de esquerda é estar em constante movimento contra a sociedade de classes e todas as suas perversas consequências.

Essa correnteza rebelde acolhe as mais diversas afluentes e perspectivas. A esquerda é rica em suas diversidades estratégicas e analíticas. Nossa intenção é dar espaço para que essa diversidade se expresse e seja colocada em debate aqui. O protagonismo das redes sociais comerciais nos debates políticos tem estimulado uma cultura de pouco diálogo, marcada pelos “textões” que alcançam apenas nossos pares mais idênticos no campo das ideias. O instantaneísmo dessas redes é inimigo da memória, uma vez que relatos e análises se perdem em um mar de quinquilharias. Essas redes devem ser apenas ferramentas de divulgação.

O portal Entranhas é um espaço dedicado exclusivamente a produção feminina. Nos movimentos sociais, coletivos, partidos e sindicatos são os homens que historicamente assumiram a linha de frente da elaboração de análises políticas. As mulheres têm ocupado cada vez mais esses espaços, e criamos esse portal com o objetivo de estimular e fortalecer esse movimento. Além disso, temos uma experiência própria, vivências peculiares que nos propiciam ver o mundo de outros ângulos ainda pouco tocados. Nós precisamos ocupar os espaços de pensamento para além das temáticas específicas de gênero.

Convidamos a participar desse portal todas as mulheres revolucionárias que sintam a necessidade de tomar a palavra.  Veja como colaborar.